informações úteis

ARTRITE DE JOELHO

Três tipos básicos de artrose podem afetar a articulação do joelho. 

  1. Osteoartrose (OA) é a forma mais comum de artrose do joelho. OA é uma doença lenta e gradativa na qual a cartilagem articular sofre desgaste gradual. Afeta mais pacientes de meia idade e idosos.
  2. Artrite Reumatóide (AR) é um tipo de artrite inflamatória auto-imune que destrói a cartilagem articular. AR pode ocorrer em qualquer idade e geralmente afeta os dois joelhos.
  3. Artrose Pós-Traumática pode se desenvolver após um trauma. Este tipo de artrite é similar a osteoartrite e pode aparecer anos após uma fratura, lesão ligamentar ou rotura de menisco. 

SINTOMAS DA ARTROSE 

            Geralmente a dor associada a artrite desenvolve-se gradualmente, embora a dor súbita também seja possível.

A articulação fica enrijecida e inchada ficando difícil sua flexão ou extensão. A dor e o inchaço são piores pela manhã ou após algum período de inatividade. A dor também pode piorar depois de atividades como caminhadas, subida de escadas ou ajoelhar. A dor geralmente causa uma sensação de fraqueza dos joelhos. A maioria das pessoas também relata que alterações de temperatura ambiente afetam a dor. 

DIAGNÓSTICO 

            O seu médico deverá fazer um exame físico completo enfocando sua marcha, a amplitude dos movimentos dos seus membros inferiores e edemas ou pontos dolorosos à palpação. Radiografias simples devem ser feitas e mostram diminuição do espaço articular do joelho afetado. Também podem ser feitos alguns exames de sangue e ressonância magnética para detecção de outras enfermidades. 

OPÇÕES DE TRATAMENTO 

            Nos estágios mais precoces a artrose de joelho é tratada conservadoramente, ou seja, sem cirurgia.

TRATAMENTOS CONSERVADORES 

-          Modificações no estilo de vida podem incluir diminuição do peso corpóreo, mudando atividade física da corrida ou caminhada para natação ou bicicleta, e diminuir algumas atividades como subir ou descer escadas que agravam os sintomas.

-          Exercícios específicos podem melhorar a amplitude dos movimentos e a flexibilidade além de fortalecer os músculos dos membros inferiores, melhorando os sintomas.

-          Uso de meios de suporte como bengalas, joelheiras e sistemas de absorção de impacto nos calçados também ajudam nos casos mais graves.

-          Outras medidas importantes incluem a realização de fisioterapia por profissionais habilitados e indicados por médicos. 

Alguns tipos de medicamentos podem ser usados no tratamento da artrose de joelho. Por causa da diferença dos pacientes e porque nem todas as pessoas respondem da mesma forma ao uso de medicamentos somente seu ortopedista poderá desenvolver um tratamento adequado a cada paciente. 

-          Medicação antiinflamatória pode incluir aspirina, paracetamol ou ibuprofeno para auxiliar na diminuição do edema

-          Glucosamina e condroitina podem eventualmente diminuir a dor da artrite mas não existe nenhum estudo que comprove a recuperação da cartilagem

-          Corticosteróides são potentes agentes antiinflamatórios que podem ser injetados nas articulações

-          Viscosuplementação pode ser feita com injeção intraarticular de hialuronato, mas seus efeitos são temporários

-          Medicações específicas para tratamento da artrite reumatóide. 

TRATAMENTO CIRÚRGICO 

            Se sua artrose não responde a nenhum destes tratamentos, você pode necessitar de cirurgia. 

-          Artroscopia usa tecnologia de fibra óptica para permitir ao cirurgião visibilizar o interior da articulação para retirar corpos livres, estruturas degeneradas e reparar cartilagem lesada.

-          Osteotomia da tíbia ou do fêmur para permitir o alinhamento do membro inferior e equilibrar as sobrecargas.

-          Artroplastia parcial ou total substitui a cartilagem articular gravemente lesada por metal e plástico.

-          Enxerto de cartilagem é possível em alguns joelhos com lesão parcial e limitada da cartilagem causada por trauma ou artrite. 

Os ortopedistas estão continuamente pesquisando por novos métodos de tratamento e recuperação da cartilagem articular através de medicamentos, terapias, transplantes que ajudem a diminuir a progressão da artrose.

Dr. Roberto Ranzini

COMO DEIXAR SUA CASA MAIS SEGURA

A maior parte das quedas ocorre em casa e a maioria das fraturas resulta destas quedas. As quedas podem levar uma pessoa idosa a uma trágica perda de independência ou mobilidade sendo que algumas simples modificações podem diminuir pela metade o risco de queda. Nos lugares necessários deve-se instalar dispositivos de segurança.

INCIDÊNCIA DE LESÕES

            A cada ano nos Estados Unidos mais de 1,8 milhão de pessoas acima de 65 anos de idade são tratadas nas emergências dos hospitais por lesões associadas a escadas, banheiras, mobiliário, tapetes e outros produtos que os idosos convivem diariamente. Milhares de outras lesões são relacionadas a quedas.

DICAS PARA PREVENIR LESÕES

            Muitos destes acidentes podem ser prevenidos. Mudanças nos móveis, arrumação dos objetos e iluminação ajudam a diminuí-los.

Use as listas abaixo como orientação:

ESCADAS E DEGRAUS

- Certifique-se de haver interruptores de luz no pé e no topo das escadas

- Deixe sempre uma lanterna à mão no caso de haver queda de energia

- Instale corrimãos em ambos os lados da escada e sempre os utilize

- Nunca deixe objetos nas escadas

- Pense em instalar detectores de movimento que acionam as luzes automaticamente nas escadas

- Coloque adesivos anti derrapantes em cada degrau

- Não use carpetes nas escadas com desenhos e de cores escuras. Cores lisas e claras mostram mais claramente os degraus

- Não coloque tapetes no pé ou no topo das escadas

- Repare imediatamente qualquer irregularidade nos degraus

BANHEIRO

- Instale barras de apoio nas paredes próximas ao vaso sanitário e dentro da banheira ou box do chuveiro

- Ponha um tapete anti derrapante ao lado da banheira

- Instale um frasco de sabão líquido na banheira ou chuveiro

- Cole faixas de adesivo anti derrapante no chão da banheira e chuveiro

- Use uma cadeira de plástico resistente dentro do chuveiro se você não conseguir ficar firmemente em pé ou se tiver dificuldade em abaixar

- Use um assento elevado ou ainda um assento especial com apoio para as mãos no vaso

- Troque o box do chuveiro por vidro temperado

QUARTO

- Retire todos os objetos soltos do chão

- Coloque uma lâmpada ou uma lanterna perto de sua cama

- Instale luzes noturnas ao longo do caminho entre o quarto e o banheiro

- Durma em uma cama que seja fácil de sair ou deitar

- Mantenha um telefone perto de sua cama

SALAS

- Disponha os móveis de tal forma a criar espaços livres de circulação entre os cômodos

- Retire todo tipo de obstáculos como mesas baixas, porta-revistas, apoios para pés e vasos de plantas do caminho

- Instale os interruptores das luzes na entrada dos quartos de tal forma que não tenha que entrar no escuro

- Coloque adesivos anti derrapantes nos tapetes soltos

- Mantenha qualquer fio elétrico ou de telefone fora do caminho e não os coloque embaixo de tapetes

- Elimine qualquer cadeira, escada ou mesa que esteja instável

- Não sente em cadeiras ou sofás muito baixos que dificultam levantar-se

- Coloque carpete sobre pisos duros para diminuir a gravidade de lesões nos casos de queda

- Repare imediatamente qualquer irregularidade ou defeito do piso

COZINHA

- Retire os tapetes soltos

- Limpe imediatamente qualquer líquido, gordura ou comida do chão

- Guarde os alimentos, louça e equipamentos de cozinha ao alcance fácil das mãos

- Nunca use cadeiras ou caixas para alcançar armários altos. Use somente degraus com apoio para as mãos

- Repare imediatamente qualquer defeito no piso

- Use somente produtos anti derrapante para limpeza do piso

Dr. ROBERTO RANZINI

CALÇADO PARA PRÁTICA ESPORTIVA

Calçados adequados podem aumentar o desempenho e prevenir lesões.

            Siga estes conselhos sobre como adquirir o melhor tipo de calçado esportivo. 

1-      Prove o calçado depois de ter feito atividade física ou corrido e no fim do dia porque seus pés estarão no máximo do tamanho.

2-      Utilize o mesmo tipo de meia que usará para aquele esporte.

3-      Quando o calçado estiver no seu pé seus dedos deverão mexer livremente.

4-      Os calçados devem ser confortáveis assim que você os coloca nos pés. Não existe período de acomodação.

5-      Caminhe ou corra alguns passos para verificar se estão perfeitamente confortáveis.

6-      Sempre amarre os calçados corretamente colocando o cadarço em todos os orifícios, aplicando pressão uniforme e cruzando de um lado a outro.

7-      Seu calcanhar deve ficar justo e firme no calçado não podendo deslizar enquanto você anda ou corre.

8-      Se praticar um esporte mais do que três vezes por semana precisará de um calçado específico para a atividade. 

Pode ser difícil escolher entre tantos tipos de calçados esportivos disponíveis.

Existem diferenças no desenho e variações nos materiais e pesos. Estas diferenças foram desenvolvidas para proteger as áreas dos pés mais sujeitas a estresse em cada atividade esportiva. 

-          Calçados atléticos são divididos em categorias como corrida, treinamento e caminhada, assim como para fazer trilhas em terrenos acidentados. Procure um calçado com cabedal macio e confortável, com bom sistema de absorção de impactos, solado resistente e que proporcione estabilidade para o calcanhar.

-          Esportes de quadra incluem calçados para tênis, basquete e volei que exigem movimentos para frente, para trás e para os lados e, portanto são submetidos a grande solicitação mecânica. Deve-se pedir orientação para seu treinador, sendo o item mais importante o solado.

-          Esportes de campo incluem calçados para futebol, futebolamericano e baseball e possuem cravos ou pregos no solado.

-          Esportes de inverno incluem calçados para patinação, hockey sobre gelo, esqui e cross-country ski. O mais importante é um bom suporte do tornozelo.

-          Atletismo. Como existem inúmeras diferentes atividades dentro do atletismo o melhor é perguntar ao seu treinador sobre o melhor calçado.

-          Esportes específicos incluem calçados para golf, dança aeróbica e ciclismo.

-          Esportes praticados ao ar livre como caça, pesca e vela.

Sempre informe-se muito bem sobre o calçado que é mais adequado para o seu tipo específico de pé e pisada além da atividade esportiva que pratica.

Dr. ROBERTO RANZINI

DISPLASIA DO DESENVOLVIMENTO DO QUADRIL

A luxação congênita do quadril ocorre por má formação da articulação do quadril da criança na qual a cabeça do fêmur não articula perfeitamente com o acetábulo ou encaixe na bacia.

            O grau de frouxidão ou instabilidade varia entre as crianças portadoras desta anormalidade. Em algumas crianças ocorre apenas uma instabilidade do encaixe entre o osso da coxa e o acetábulo mas em outras a cabeça do fêmur pode estar completamente fora da articulação normal. A frouxidão ligamentar pode piorar com o crescimento e à medida que a criança fica mais ativa.

            Todos os pediatras devem realizar o exame dos quadris nos recém-nascidos e na primeira consulta até 1 mês. Quando é detectada qualquer alteração no recém-nascido ou até 1 mês de idade a correção é mais simples e com resultado excelente. Mas se o quadril não estiver deslocado no recém-nascido a detecção é mais difícil e somente será percebida quando a criança começar a caminhar e neste ponto o tratamento é mais difícil e com resultados mais reservados.

            Se não for tratada adequadamente a Luxação Congênita do Quadril pode levar a dor e osteoartrose precoce na idade adulta. Normalmente provoca uma diferença de comprimento dos membros inferiores e uma “marcha de pato” com diminuição da agilidade. Se tratada com sucesso, e quanto antes melhor, as crianças recuperam a função normal do quadril. Contudo, mesmo com tratamento apropriado, e especialmente nas crianças com mais de 2 anos de idade, pode-se desenvolver a deformidade ou a osteoartrite do quadril precocemente.

CAUSAS

A displasia tende a ser mais comum nas mesmas famílias. Geralmente afeta mais o quadril esquerdo e é predominante em meninas, primogênitos e bebês com apresentação pélvica ou que nascem sentados.

SINTOMAS

Alguns bebês com quadril deslocado não mostram nenhuma alteração do exame físico.

Relate ao seu pediatra se o seu bebê tiver:

            1- pernas de comprimento diferentes

            2- assimetria das pregas cutâneas

            3- menor mobilidade ou flexibilidade de um quadril em relação ao outro

            4- claudicação, andar como “pato” ou rotação interna de um pé maior que o outro.

Se o pediatra ou ortopedista tiver qualquer dúvida do diagnóstico serão necessários exames de imagem para elucidação.

Dr. Roberto Ranzini

DOR NAS COSTAS E ATIVIDADE FÍSICA

Dor na região lombar das costas é um dos piores problemas de saúde da nossa sociedade. Mais de 80% das pessoas vão ter um episódio de dor lombar pelo menos uma vez na vida. E este quadro pode variar de uma dor intensa e de longa duração até uma dor leve e de rápida resolução. Por isso deve-se estar atento mesmo para dores leves na região lombar das costas.

            Os pesquisadores postulam muitas teorias sobre o que causa a dor lombar, mas nenhuma delas se aplica a todos os pacientes. Pode estar relacionada a dano ou envelhecimento dos discos, contraturas musculares, artrite da coluna, problemas com tendões e ligamentos.

            Na grande maioria das vezes não ocorre nenhum trauma ou esforço que tenha desencadeado a dor, e sim um mau uso geral da coluna, como má postura, excesso de peso corpóreo, vida sedentária, trabalhos que exigem longos períodos sentado entre outros.

            A nossa coluna, que não foi “projetada” para andarmos em pé, sofre muito com todas estas agressões que podem culminar com fortes dores lombares e até mesmo dor ciática irradiando para os membros inferiores, podendo em casos graves diminuir a força dos músculos das pernas e exigir até correção cirúrgica.

            Nesta eventualidade toda atividade física deve ser interrompida e iniciado tratamento adequado visando o rápido retorno ao esporte.

            Portanto cuide muito bem desta preciosa estrutura que nos mantém eretos e sustenta todo peso do tronco, cabeça, braços e todo peso que eles carregam.

            Quem cuida muito bem de sua coluna terá muito menos problemas. 

 

Dr. Roberto Ranzini